Getrak

Notícias
Entre em contato com um de nossos consultores (31) 3324-5710 (31) 3500-3200

Grupo Alcatraz sobre a Exposec 2018

 

O Grupo Alcatraz foi até São Paulo para conferir todas as novidades no setor de segurança na maior feira de segurança da américa latina - EXPOSEC 2018, evento que aconteceu do dia 22 a 24 de maio.

 

Nessa 21ª edição estiveram presentes cerca de 800 expositores, reunidos em um espaço de mais de 40 mil m² no São Paulo Expo, para apresentar o que há de mais moderno em tecnologia para segurança eletrônica, privada, pessoal, patrimonial e empresarial.

 

Grandes marcas do segmento com atuação nacional e internacional marcaram presença, alguns parceiros já conhecidos do Grupo Alcatraz como a ILTELBRAS, JFL ALARMES, GETRAK, MASTERTECH, SEVENTH, VIA WEB, e outros tantos que tivemos o prazer de conhecer durante o evento.

 

O que nós achamos da EXPOSEC 2018:

 

A Exposec é realmente imperdível para quem trabalha com segurança, pois é onde muitas empresas aproveitam para fazer o lançamento de novos produtos.

 

Como prestadora de serviços, o Grupo Alcatraz não poderia deixar de participar, é essencial estar por dentro das novidades do mercado para saber oferecer as melhores alternativas aos nossos clientes.

 

Confira alguns dos destaques da EXPOSEC:

 

Sem dúvida um dos maiores stands e com merecido destaque foi o da Intelbras, referência  nacional se tratando de equipamentos para segurança. Nem precisamos dizer que a Intelbras deu um show! No espaço era possível ver de perto todos os equipamentos e ver uma demonstração em tempo real.

 

Outro mega stand recheado de lançamentos, que também não poderia deixar de ser citado, foi o da JFL ALARMES. Dentro os destaques estão os novos sensores LZ-500 e LZ-550 que foram projetados para alcançar um maior ângulo de detecção (115°) e eliminar os pontos cegos que a maioria dos sensores possuem. Outro produto que chamou a atenção foi a Sec Care , um dispositivo para acionamento de pânico em formato de pulseira, que ao ser acionada envia o comando diretamente à central da empresa de monitoramento.

 

Uma super tendência do setor que esteve presente nos lançamentos de várias empresas é o armazenamento de dados na nuvem(cloud). Realmente não tem um modo mais seguro de preservar as informações, e já que estamos falando de segurança é claro que as empresas estariam preparadas para se adaptar a essa realidade.

 

É notável a preocupação das empresas em inovar através de softwares e aplicativos que trazem maior mobilidade e facilidade aos usuários dos sistemas de segurança e automação. A exemplo disso,  temos o novo app anunciado pela Via Web System como lançamento na EXPOSEC 2018, uma promessa que chegou forte ao mercado principalmente pela praticidade. A Via Web investiu em um aplicativo que oferece tudo que o usuário precisa integrando funções de sistema de alarme (arma e desarma), automações (abertura e fechamento de portões, por exemplo) e visualização de câmeras (com possibilidade de integrar com câmeras de diversas marcas já conhecidas do mercado). Além disso, o app traz funções como login social (é possível logar através das contas do facebook ou google) e permite que, uma vez configurado o sistema em um aplicativo, o usuário possa compartilhar a configuração para outras pessoas (que moram/ trabalham no mesmo local e compartilham o mesmo sistema) de um modo fácil, sem precisar reconfigurar a cada usuário.

 

Destaque também para a novidade que a Getrak estará implantando logo logo na próxima atualização do sistema de rastreamento: recursos que utilizam inteligência artificial. Umas das  promessas para essa nova versão do sistema Getrak é a implementação de uma ferramenta para registros de sinistros de cada veículo rastreado pelo sistema criando uma base de dados na nuvem que será utilizada por exemplo para mapear áreas de risco (bairros mais perigosos) de acordo com a quantidade de sinistros registrados por região. Outra ferramenta que também atuará com inteligência artificial é a Deeptrack, solução que  analisa o comportamento diário do veículo e emite alertas ao sinal de qualquer comportamento que fuja dos padrões.

 

Ainda falando de softwares para segurança, a Seventh marcou presença com alguns dos produtos já conhecidos do mercado como o software D-Guard, mas também abriu espaço para alguns parceiros. A Somaseg por exemplo traz uma solução que integra o sistema de monitoramento de câmeras ao sistema de alarmes e ainda utiliza do banco de dados do sistema de gestão da empresa de monitoramento, ou seja, tudo fica acessível em uma única plataforma. Além disso, também apresentaram um aplicativo super completo que oferece várias funções para integração entre empresa de monitoramento e cliente através da nuvem.

 

Por fim, claro que seria impossível registrar todas as descobertas aqui, mas O Grupo Alcatraz estará sempre acompanhando de perto os avanços do setor e cultivando essas experiências enriquecedoras. Estamos prontos e já ansiosos para a EXPOSEC 2019!



Getrak recebe aporte e mira expansão no setor de logística e transporte

 

Companhia de IoT aumentou em 220% o número de carros monitorados nos últimos quatro anos

 

A Getrak, companhia especializada em desenvolvimento de softwares para IoT, recebeu investimento do fundo de venture capital gerido pela Cedro Capital e está pronta para dar mais um passo em seu plano de expansão no setor de transporte e logística. A empresa atua em todo o território nacional, está presente em 250 cidades e tem veículos rastreados em mais de 3 mil municípios.

 

A companhia é atualmente responsável pelo monitoramento de 390 mil objetos – sendo 90% deles automóveis, e mira chegar aos 700 mil itens monitorados até o fim de 2019. O investimento ainda será destinado ao desenvolvimento de novos dispositivos, serviços de conectividade, implantação de redes IoT e pesquisas no setor. Isso permitirá expandir o mercado de rastreamento para itens ainda pouco usuais, tais como trens e objetos de alto valor.

 

O aporte é fruto dos resultados sólidos que a empresa vem apresentando desde 2014. Nos últimos quatro anos seu faturamento aumentou 40% ao ano e no mesmo período sua carteira de clientes aumentou 260%. Segundo Alessandro Machado (foto), sócio da Cedro Capital, a empresa passou por uma série de ajustes internos para se tornar elegível ao investimento. “Há três anos a companhia vem realizando ações planejadas, entre elas a contratação de uma consultoria focada em gestão estratégica e governança. Esses fatores contribuíram para análise e aprovação do investimento”, conta.

 

A Getrak deseja ampliar a sua carteira de clientes que hoje conta com 600 empresas, entre eles Magneti Marelli, Volkswagen, Ticket, Localiza etc. Como consequência dessa movimentação, o esperado é ampliar o atual market-share de 16%.

 

Para Frederico Menegatti, CEO da Getrak, a conectividade está passando por um momento de mudança e disrupção, por isso, a tendência é que aconteçam ciclos tecnológicos menores. “Frente a este cenário, a Getrak se sente responsável por buscar as melhores soluções, no melhor custo possível para seus clientes e parceiros”, afirma.

Paralisação deve continuar até votação no Senado, prevê CEO de app para caminhoneiros

 

Embora o governo tenha anunciado o fim da greve com a assinatura da redução do diesel pelo Presidente Michel Temer no Diário Oficial da União, a paralisação durará por pelo menos mais um dia. Mobile Time conversou novamente com Wagner Costa, CEO da Pra Caminhão (Android) e empresário do setor de fretes, nesta segunda-feira, 28. Ele alerta que, em conversa com os líderes do movimento grevista ligados à Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), em Goiânia, Goiás, a paralisação continua até a votação do corte de preço do insumo no Senado Federal.

 

“Os motoristas estão esperando a votação no Senado. O governo não tem crédito com o caminhoneiro”, afirmou o executivo. “Não adianta só assinar e publicar no Diário Oficial. Tem que ter a votação no Senado amanhã”.

 

Farias afirma ainda que suas operações de frete e do app de conveniências aos motoristas estão congeladas. O executivo culpa os senadores por grande parte da atual crise. Para ele, o fato de os parlamentares não terem votado a redução do preço do combustível na última semana colaborou para estender e agravar a crise nas cidades do Brasil.

 

“Se os governantes quisessem agir com rapidez, eles não teriam voltado para suas casas na quarta e quinta-feira”, disse o CEO. “Essa conta é dos senadores. Não é culpa apenas do Temer”.

 

As empresas Cargo X e TruckPad também foram procuradas para darem seus posicionamentos. No entanto, as duas companhias não responderam até o final desta reportagem.

 

Leve recuperação

 

Mesmo com a paralisação continuando em diversas cidades do País, alguns profissionais já estão voltando às estradas. É o que relatou Frederico Menegatti, CEO da Getrak. Em conversa com esta publicação, o gestor da empresa de monitoramento de frotas de caminhão relatou que 20% dos 180 mil caminhões monitorados por sua empresa voltaram às suas circulações normais, comparado com médias históricas de uma semana antes da crise. “Apenas nas 12 primeiras horas desta segunda, já deu todo tráfego da sexta-feira passada (20%)”, disse Menegatti. “Os caminhoneiros começaram a recuperar viagens na sexta. Mas ainda está bem abaixo da média histórica”.

 

Apps de transporte individual

 

Entre os aplicativos de transporte individual, o 99 foi o que tomou mais iniciativas para minimizar os efeitos da crise. Em comunicado enviado à imprensa, a companhia descreve o que fez: “A 99 observa com atenção a evolução do quadro desencadeado pela paralisação dos caminhoneiros e informa que adotou medidas para amenizar os impactos provocados pela crise de abastecimento que afeta todo o Brasil. Entre elas, está a definição de um teto no Preço Variável em cidades de todo o país. Com a iniciativa, esperamos equilibrar a oferta e a demanda de carros particulares (Pop) sem incorrer em preços atípicos. Também realizaremos hoje mais uma edição especial da Rádio 99, das 17h às 19h, com informações e dicas de onde encontrar combustível, as condições do trânsito e as últimas notícias que influenciam o tráfego nas nove principais cidades onde a 99 opera. O plantão de comunicação, criado na última sexta-feira (25), contou com a participação de mais 32 mil motoristas parceiros em todo o Brasil.”

 

A assessoria de comunicação da Uber disse que seus serviços não foram afetados e que as operações continuam normais. Perguntada sobre aumento do preço dinâmico, a assessoria disse apenas que é normal em alguns pontos com muita demanda isso acontecer.

 

O Cabify disse não haver novidades. O último posicionamento da empresa, divulgado na última quinta-feira, 24, informou que alteraram “a tarifa mínima de determinadas cidades para reduzir o impacto gerado pela alta dos combustíveis por período indeterminado”.

 

Procura por postos de gasolina aumenta 235% em São Paulo, diz Waze


Com a greve dos caminhoneiros, o Waze detectou um aumento de 235% de usuários que buscaram por postos de gasolina pelo app na Grande São Paulo. A comparação foi feita com os mesmos dias na semana passada. A falta de combustível é a principal consequência da crise, o que levou a cidade de São Paulo a declarar estado de emergência e o Rio de Janeiro, estágio de atenção.

Do lado dos motoristas de caminhão, a ampla adesão pôde ser vista através de dados da Getrak, uma empresa de Internet das Coisas que trabalha com monitoramento de caminhões e rotas em todo o Brasil. A startup informou que, dos 180 mil caminhões monitorados, o rastreamento da última quinta-feira, 24, indicava apenas 5% do tráfego diário normal. Ou seja, apenas 5% dos caminhões monitorados pela companhia estavam nas estradas, sendo que muitos estão em protesto. Porém, a quantidade de caminhões nas estradas subiu para 15% nesta sexta-feira, 25.


Impacto nas empresas


Nesta sexta, Mobile Time procurou empresas de transporte de passageiros, de logística e de delivery para entender suas visões e o impacto que a paralisação dos motoristas de caminhões – e de outras categorias como motoboys e motoristas de vans – está causando em seus negócios.


Transportes


A 99 disse não haver impacto na operação de táxis e corridas particulares, mas não abriu números. A companhia criou uma rádio via YouTube para auxiliar seus motoristas com informações sobre trânsito e postos com vendas de combustíveis. As informações coletadas são recebidas via WhatsApp e veiculadas no programa capitaneado por dois profissionais da companhia. Informações de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Fortaleza, Salvador, Brasília e Belo Horizonte serão veiculadas no programa que estará no ar entre 16h e 20h desta sexta.

A Easy (ex-Easy Táxi) respondeu que “apoia a liberdade de expressão e reforça que somente apoia movimentos pacíficos”, repudiando qualquer uso de violência como forma de protesto. A companhia não quis divulgar os dados de corridas, se aumentaram ou diminuíram neste período.

Por sua vez, a Uber disse que a operação está normal e, inclusive, em um dos dias desta fatídica semana a tarifa foi menor em São Paulo. O Táxi.Rio disse que não sentiu mudança no movimento e também não apresentou números.

Delivery e logística


O iFood disse que tudo está “funcionando normalmente”. E que a frota de entregadores – que suporta iFood e Spoon Rocket – está “trabalhando normalmente” e que estão atuando para que o “menor número possível de pessoas” seja afetado neste momento. Mas também não revelou se houve mudanças na quantidade de entregas nesta semana. Rappi, Loggi e Mandaê não quiseram se manifestar. James Delivery não respondeu até o fechamento desta reportagem.



Getrak investe mais de R$ 8 milhões em soluções remotas de prevenção de roubos de veículos e cargas


Companhia investiu no desenvolvimento de plataforma e hardware que reduzem em 80% o tempo de recuperação de itens roubados


A Getrak, companhia especializada em desenvolvimento de softwares para IoT, lança duas novas tecnologias que prometem diminuir o tempo médio entre roubo e recuperação de veículos e cargas de 3 a 4 horas para 40 minutos. Enquanto a plataforma inteligente Getrak 5.0 é voltada para a gestão de frotas e padrões de uso promete gerenciar de forma preditiva riscos de veículos e cargas de maneira completa, o dispositivo portátil Sigfox possui conectividade inclusa e bateria de até três anos.


A plataforma recebeu aporte de R$ 8 milhões e levou dois anos para ser desenvolvida, sendo 12 meses dedicados à pesquisa em 500 centrais de rastreamento. Entre os seus diferenciais estão planos de gerenciamento de risco, relatórios online com indicadores sobre como reduzir o custo de uma frota em campo - de acordo com a análise da condução de cada veículo. Além disso a plataforma está integrada ao sistema Deep Track, uma plataforma de Inteligência Artificial que processa em tempo real todas as informações dos rastreadores e dispositivos IoT. Dessa maneira é possível gerar alertas preditivos para os condutores sobre as chances de o carro está sendo furtado antes mesmo do proprietário perceber e notificar a central.


“Percebemos que, para cada gestor de frotas, havia a necessidade específica de relatórios e alertas. Um veículo que possui rastreador para acompanhamento de telemetria ou logística possui demandas diferentes que um veículo que está sendo rastreado para segurança. Isto nos levou a criar uma plataforma mais flexível e assertiva na entrega de dados para cada tipo de cliente e integrada com ao Deep Track. Esta nova tecnologia é o nosso grande diferencial para as centrais de rastreamento que já utilizam a nossa tecnologia”, explica Frederico Menegatti, CEO da Getrak.


Já o dispositivo Sigfox recebeu aporte de R$ 800 mil e promete trazer para as centrais de rastreamento versatilidade e economia. Além de ser um dos primeiros dispositivos IoT de desenvolvimento 100% nacional o equipamento possui conectividade inclusa sem a necessidade de instalação de chips de dados e bateria que pode durar até três anos possibilitando utilização no monitoramento de qualquer tipo de dispositivo em campo, pessoas ou pets, além de proporcionar uma instalação rápida e barata em qualquer tipo de veículo ou bem móvel. Estas características ampliam de forma expressiva as possibilidades de mercado para as empresas de rastreamento e segurança.


“A tecnologia Sigfox alia baixíssimo o custo de conectividade ao baixo consumo de energia e longo alcance. Estas características estão disponíveis no serviço que é oferecido pela WND Brasil e detém a exclusividade da tecnologia Sigfox no Brasil em praticamente todo o território nacional, e faz com que seja possível o desenvolvimento de inúmeras soluções de Internet das coisas, para diversas atividades da economia nacional, inclusive para rastreamento e segurança”, explica o engenheiro Eduardo Iha, diretor de Negócios da WND Brasil.


Os lançamentos fazem parte de uma série de ações e investimentos da Getrak para o mercado IoT, com criação de soluções e redes para conectividade de dispositivos, equipamentos e plataformas computacionais.


A Getrak, empresa mineira de desenvolvimento de softwares para rastreamento veicular, possui 10 sólidos anos de mercado e vê seu crescimento mostrar resultados expressivos. Em 2013, houve incremento de 70%  na comparação com o exercício imediatamente anterior, história que pretende repetir em 2014. Isso aqui no Brasil, porque no exterior a meta é atingir 120% em comparação a 2013. Para isso, a Getrak está atrás de novos clientes.

A primeira busca aconteceu na FASTEC, em Salvador, onde a empresa participou apresentando um simulador de mercado que permite aos empresários gerar uma estimativa de faturamento e lucro líquido, caso ele insira a operação do rastreamento na empresa.  O intuito era mostrar o crescimento possível de alcançar entrando para esse ramo de rastreamento veicular. Segundo Frederico Menegatti, CEO da Getrak, abrir e operar uma central de rastreamento custa menos de R$ 10 mil para esses empresários, e inserir essa operação no portfólio pode incrementar entre 20% e 50% o faturamento deles.

Menegatti também enfatiza que as empresas podem ir além e oferecer, através do software da Getrak, muitas outras possibilidades de serviços para fidelizar clientes, como o rastreamento pessoal e de cargas, a gestão de equipe em campo, telemetria e gestão da frota  via smartphones e tablets. "Nós somos focados em tecnologia,  gerando o máximo de inovação e valor agregado para os clientes. Com isso, nós conquistamos mais clientes, e aqueles que já estão em nossa carteira crescem ainda mais", explica.

Para que investir em prospecções, quando pesa muito menos no bolso fidelizar clientes? Apesar de compreender esse raciocínio, muitas empresas do setor em crescimento de segurança eletrônica não têm tempo para gerir seus clientes a ponto de expandir o leque de serviços. Pensando nisso, a Getrak – líder de mercado no desenvolvimento de tecnologia web para rastreamento e monitoramento veicular – desenvolveu o “Simulador de Mercado”, um instrumento criado para mostrar a esses empresários quais lacunas não são atendidas pela empresa e o quanto ela pode crescer se investir em novas plataformas de rastreamento. "O aumento de receita vai depender do quanto a empresa pode investir.

Identificamos mercado até para dobrarem o seu faturamento", ressalta André Saliba, diretor comercial da Getrak.

Para conhecer esse simulador, basta comparecer à 1ª edição da Feira e Congresso de Segurança Eletrônica (FASTSEC), onde ele será apresentado entre os dias 27 e 28 de março, no Centro de Convenções da Bahia (Salvador).  O uso da tecnologia mais assertiva também influencia em quantos % de lucro a empresa ganha. "Temos clientes que utilizavam softwares que limitavam a sua operação e atingiram um crescimento de 30% apenas mudando a ferramenta. Estamos falando de, por exemplo, uma empresa que monitorava 900 carros e hoje monitora 7.500", conta Saliba.

 

Atualmente, vivemos em uma era em que tudo está conectado. Por isso, programas e plataformas criados para funcionar apenas em computadores estão fadados a serem incompletos: é preciso acompanhar as evoluções tecnológicas. E a empresa mineira Getrak, que atua há mais de 8 anos no desenvolvimento de tecnologia web para rastreamento e monitoramento veicular, sabe muito bem disso. Com uma base de 200 mil veículos, a Getrak inova mais uma vez ao apresentar um software de rastreamento pessoal via smartphone que oferece maior controle logístico para os usuários.

"Muito além do rastreamento de um bem, passamos a oferecer uma união de ferramentas e soluções que, integradas, auxiliam e gerenciam todo o controle logístico de equipes em campo, com acompanhamento em tempo real de quando e como tarefas e rotas estão sendo cumpridas em campo”, conta André Saliba, diretor comercial da Getrak. Com o objetivo de oferecer aos clientes mais qualidade, segurança e, claro, tecnologia, esse novo software faz parte do plano de investimentos da empresa, que prevê R$ 6 milhões nos próximos anos. Além disso, ele inclui a instalação de um novo data center, ponto que corrobora para a plataforma Getrak ampliar ainda mais a integração com dispositivos móveis, aumentando a velocidade e segurança dos dados monitorados.